Enfermeiro suspeito de estuprar acompanhante de paciente em hospital é afastado da função.

Denúncia está sendo investigada pela Delegacia Especializada da Mulher do Centro de Teresina. — Foto: Lucas Pessoa/G1.

Fonte: G1 PI.

Profissional teria dopado a vítima e cometido o crime dentro de um dos quartos do hospital, na noite em que a mulher estava acompanhando um paciente internado. O caso é investigado pela Polícia Civil.

O enfermeiro de um hospital particular no Centro de Teresina foi afastado da função após denúncia de que ele teria estuprado a acompanhante de um paciente internado na unidade de saúde, em outubro. A vítima é cunhada do suspeito e passava a noite com o sogro, de 85 anos, quando a violência aconteceu.
De acordo com a Polícia Civil, o cunhado da vítima é enfermeiro no hospital e estava de plantão. O suspeito teria dado uma medicação para ela, dizendo que era "para relaxar". Mas a vítima ficou desacordada.
Quando recuperou a consciência, a vítima sentiu dor nas partes íntimas e suspeitou que havia sido violentada. A mulher procurou o Instituto de Medicina Legal (IML) para fazer o exame de corpo de delito, que confirmou o estupro.


Em seguida, a vítima procurou a delegacia e o enfermeiro foi identificado e intimado para prestar depoimento. "Temos que juntar todas as provas, todos os procedimentos policiais, para mandar para a Justiça", afirmou a delegada da mulher Vilma Alves.
"Para mim não resta nenhuma dúvida de que é estupro, conforme o que se tem, mas estão faltando ainda outros procedimentos para mandar para Justiça", disse a delegada.


Em nota, o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) disse que está averiguando o caso junto à chefia de enfermagem do hospital para abrir um processo ético contra o profissional suspeito pelo crime.
O Hospital também emitiu comunicado, informando que repudia qualquer tipo de violência contra a mulher e que está à disposição da polícia para esclarecimentos.

Leia as notas na íntegra:


Hospital São Marcos.


O Hospital São Marcos, após tomar conhecimento de grave denúncia através da imprensa, esclarece ao público que não existe a prática de administração de quaisquer medicamentos para acompanhantes de pacientes. Caso isso tenha ocorrido, foi a partir de uma situação específica, relação pessoal de confiança que havia entre a vítima e o suposto agressor. O hospital repudia qualquer tipo de violência contra mulheres, menores, incapazes, idosos e quaisquer outros vulneráveis, está à disposição da Justiça e tomará as providencias cabíveis de maneira rigorosa, nos termos da Lei.


Coren-PI.


O Conselho Regional Enfermagem - Piauí (Coren-PI) ainda não recebeu essa denúncia oficialmente, mas que está averiguando junto à chefia de enfermagem, para então abrir um processo ético.

Categoria:Noticias

Deixe seu Comentário