Infectologista defende lockdown por três semanas no Piauí e diz que flexibilizar isolamento seria 'carnificina': 'não está na hora'

Exames de Covid-19: mais de 19 mil casos confirmados no Piauí — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde.

Fonte: G1 Pi.

Carlos Henrique Nery disse que liberar atividades econômicas agora "seria estragar tudo o que foi feito". Apenas bloqueio total, segundo ele, poderia fazer com que número de casos de coronavírus seja controlado.

O infectologista Carlos Henrique Nery Costa defendeu que o estado do Piauí adote medidas mais duras de isolamento social, sendo necessário o uso do lockdown, o bloqueio de atividades, na prática, com controle rígido de circulação de pessoas nas ruas. Para o especialista, o fechamento total, “mais duro”, deveria ser usado por três semanas para conseguir controlar a Covid-19. Flexibilizar atividades, segundo ele, seria “carnificina” e um “suicídio”.
“Agora, na minha visão, é hora de lockdown por no mínimo três semanas, de forma dura. Aí, poderemos parar a pandemia, conversar e estabelecer estratégias localizadas, paulatinas, de reabrir a economia. Se não fizermos isso [o lockdown], não vamos sair do atoleiro”, analisou Carlos Henrique Nery, em entrevista à TV Clube.
“O Piauí conseguiu postergar com suas medidas precoces, fez muito, o quadro dramático de lotação das UTI, mas se nós quisermos acabar com isso, temos que jogar mais duro, fechar, ter o lockdown e discutir quando abrir”, completou o médico.
Carlos Henrique Nery também se mostrou contra a flexibilização de atividades econômicas e disse que não está na hora. O governo do estado programa para o dia 6 de julho a reabertura de pelo menos três setores: construção civil, automotivo e clínicas de saúde. A Prefeitura de Teresina também sinalizou para essa data a liberação.
Para o infectologista, abrir nessa data seria uma “carnificina” e um “suicídio”.
“Não está na hora, nem sonhando. Não chegou a hora de parar [o isolamento]. Parar agora é suicido, é carnificina. Terrível parar agora, seria estragar tudo o que foi feito até agora. Além das perdas de vida, as perdas econômicas. Seria se aventurar em bases médicas, bases de saúde pública, apenas em interesses econômicos. Aí, seria o fim”, avaliou.
Para Carlos Henrique Nery, sem o bloqueio total, teríamos mais dois meses de economia parada, “sem resolver nem de um lado e nem do outro”. No total, o Piauí tem 19.753 confirmados e 643 mortes em decorrência do novo coronavírus. A taxa de ocupação nos leitos de UTI é de 74%.
“Se levarmos o isolamento, o lockdown, por um período prolongado não tenha dúvida que a pandemia cederia. E assim, poderíamos nos organizar para reorganizar a economia. Levando como nós estamos, isso vai levar um longo tempo, com tudo paralisado, não resolvendo nem por um lado e nem para o outro. Essa é a minha perspectiva”, avaliou o infectologista.
Não há, na avaliação do médico, uma projeção de estabilização do número de casos no Piauí.
“Não se brinca com 30 mortes por dia, situação que não se tinha antes, há meses atrás. É grave, muito preocupante porque a pandemia continua crescendo. É uma doença nova, grave, e não temos quase nada para tratar a doença, exceto para casos graves e moderados, mas ainda com uma substância ainda em estudo”, comentou.

Publicidade.

Cursos 24 Horas - Cursos Online


Entenda o que é lockdown.


Embora não tenha uma definição única, o lockdown é, na prática, a medida mais radical imposta por governos para que haja distanciamento social – uma espécie de bloqueio total em que as pessoas devem, de modo geral, ficar em casa.
Categoria:Noticias

Deixe seu Comentário