Menu

Rádio Avante

A nova onda na web


Após nova cirurgia, Jair Bolsonaro passa bem, dizem médicos

13 SET 2018
13 de Setembro de 2018

Um exame identificou uma obstrução no intestino do candiato do PSL à Presidência da República

Fonte: Noticias ao minuto

© Reuters / Adriano Machado

Após nova cirurgia, Jair Bolsonaro passa bem, dizem médicos

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi submetido a uma cirurgia de emergência na noite desta quarta-feira (12) no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele passa bem.

A informação foi confirmada à reportagem inicialmente pelo presidente da UDR (União Democrática Ruralista), Nabhan Garcia, que é amigo e apoiador de Bolsonaro e está no hospital com o deputado.

 

"Tecnicamente não sei o por quê, mas ele teve de ser submetido a uma cirurgia porque não passou bem ontem [terça-feira, 11] e nem hoje [quarta]", disse. "Ele está em cirurgia agora, foi submetido há pouquíssimo tempo a essa cirurgia."

 

De acordo com o Hospital Albert Einstein, Bolsonaro teve náuseas e foi submetido a uma tomografia. O resultado levou a equipe médica a submetê-lo a uma nova cirurgia, que durou cerca de uma hora, conduzida pelo médico Antônio Macedo.

 

Foram retiradas aderências que obstruíram o intestino delgado, e corrigida uma fístula surgida em uma das suturas feitas na operação inicial após o atentado em Juiz de Fora, na última quinta-feira (6).

 

Os médicos decidiram pela operação quando ficou claro que o quadro evoluiu para ou uma obstrução completa do intestino delgado ou para o risco de necrose de partes do órgão. São decorrências comuns em casos assim, e graves.

 

O quadro clínico do capitão reformado piorou na manhã desta quarta, quando foi reintroduzida a alimentação venosa após ele ter reagido mal à tentativa de reiniciar o trânsito intestinal com o consumo de sólidos.

 

O Albert Einstein informou ainda que não vai se manifestar até o próximo boletim médico, que deve ser divulgado às 10h desta quinta-feira (13).

 

"O capitão não passou bem à noite, teve muitas náuseas, chegou a vomitar, teve muita distensão abdominal. Passou 24 horas agonizando. Pelo que entendi, duas alças do intestino colaram e obstruíram a região", disse Gustavo Bebianno, presidente do PSL e advogado de Bolsonaro, enquanto o capitão reformado era submetido à cirurgia.

 

"A mulher dele, Michelle, já tinha ido embora e voltou às pressas. Estamos acompanhando eu, o filho Carlos e a mulher", completou Bebianno.

 

O deputado estadual Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidenciável, usou as redes sociais para se pronunciar sobre o estado de saúde do pai e pediu orações. "Meu pai está fazendo uma nova cirurgia agora, peço que continuem as orações, o estado dele ainda é grave.", escreveu nas redes sociais.

 

Mensagens de pedido de apoio foram publicadas por outros dois filhos do capitão reformado: Renan Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

 

ENTENDA A CIRURGIA

 

A aderência ocorre quando dois tecidos do corpo grudam, formando uma espécie de cicatriz. Acontece como resposta do organismo a fatores como cirurgia ou processo inflamatório.

 

Segundo médicos ouvidos pela reportagem, a cirurgia (laparotomia) a que Bolsonaro foi submetido tem a finalidade de desgrudar esses tecidos para restabelecer o trânsito intestinal.

 

Após soltar as alças intestinais, os cirurgiões devem fazer uma lavagem de toda a cavidade abdominal e observar se o intestino volta a funcionar. Às vezes, a movimentação intestinal já começa a acontecer ainda durante a cirurgia.

 

De acordo com especialistas, aderências e abcessos podem acontecer em casos como o de Bolsonaro por conta do alto risco de infecções provocado pelas fezes que caíram na cavidade abdominal pós a perfuração do intestino. Com informações da Folhapress.

Voltar


Tenha também o seu site. É grátis!